Resenha: Annie, o clássico que encantou gerações - Thomas Meehan

18:33:00 Gabriela Mélo 2 Comments

"Eu amo você, amanhã, porque está sempre a um dia de distância"

Quando iniciei esse livro, já não lembrava a última vez que tinha lido um clássico. A sensação é indescritível!


Em plena crise, em Nova York, uma garotinha ruiva foi deixada à porta de um orfanato com apenas um bilhete e um medalhão. Desde então, agora 1933, ela espera os pais que prometeram voltar para buscá-la.


Annie vive com outras garotas e com a terrível Srta. Hannigan, diretora e dona de um coração amargurado, no orfanato. Depois de muito sofrimento e de tanto esperar por seus pais, ela percebe que eles não voltarão para buscá-la. E, assim, parte à procura deles.


Em sua mais nova jornada, Annie encontra pessoas ruins, uma nova amiga -uma cadelinha que ela nomeia Sandy-, e pessoas incrivelmente legais.


A situação do país não é das melhores e ela se depara com muitos desafios. Quando está abrigada com alguns "sem tetos" que conheceu, Annie é surpreendida pela polícia que a captura e leva de volta para o orfanato e para as garras da Srta. Hannigan.


Felizmente, o homem mais rico dos EUA está disposto a fazer uma boa ação e convida-a para passar o natal em sua casa. É quando tudo começa a mudar na vida da pequena orfã.


Enquanto a Srta. Hannigan arranca os cabelos de inveja, a menina se diverte na casa do bilionário, Sr. Oliver Warbucks, tendo tudo que sempre imaginou e mais, bem mais, depois de uma bela noite ele decide ajudá-la a encontrar seus pais verdadeiros. E toda magia e mistério do livro se torna ainda mais presente.


Inicialmente, a história saiu em forma de tirinhas, por Harold Gray, em um jornal novaiorquino. Logo foi trabalhada para ser o musical que tantos adoram e, finalmente, Thomas Meehan o lançou em forma de livro -Que é extremamente fiel ao primeiro filme.


É um conto infantil e repleto de fatos tristes e maravilhosos. Minha parte favorita é o otimismo de Annie, que mesmo passando por tantos problemas e tantas crueldades se mantem firme e feliz. Ela nos ensina a nunca baixar a cabeça para a tristeza e nunca, jamais, sentir pena de si mesmo.


Gostei muito do livro e acredito que seja indicado para qualquer tipo de pessoa de qualquer idade. O livro é bem curtinho e agradável, as vezes pode parecer um pouco previsível ou clichê, mas é possível se apaixonar mesmo assim.

Quem assistiu o novo filme pode se decepcionar um pouco, pois o livro não tem muito a ver com a versão cinematográfica de 2014, mas é tão divertido quanto!


2 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Achei a história bem divertida e dinâmica, mas não sei se leria por agora..
    Pensei que fosse um HQ pela capa e não é que tudo começou com tirinhas?! Hhaha
    Beijos
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bia, tudo sim!

      É uma história engraçada e um pouco clichê, mas acredito que isso é que fez o clássico. Tem uma mensagem muito bonita por trás!
      kkkkkk Realmente, tudo começou com tirinhas, fiquei surpresa quando li sobre isso! A capa também me lembra um HQ!
      Beijão :3

      Excluir